segunda-feira, 15 de abril de 2013

SÍNDROME DO CANAL DE GUYON



DEFINIÇÃO 

     A Síndrome de Guyon é uma neuropatia compressiva do nervo ulnar, ou seja, refere-se à compressão do nervo ulnar, ao nível do punho, quando ele passa através do túnel ulnar ou canal de Guyon, em torno do osso pisiforme. 

     É causada por qualquer alteração que leve a um estreitamento do espaço ocupado pelo nervo. 

   A sintomatologia consiste em disestesias, dor, fraqueza e hipotrofia muscular, sensação de frio e intolerância ao calor distribuídos na margem ulnar da mão. 

ANATOMIA

     O canal de Guyon é um túnel na palma da mão, ao nível do punho, através do qual passam o nervo e a artéria ulnares. Esse túnel é formado basicamente por dois ossos, o pisiforme e o hamato, e pelo ligamento que os conecta. Após atravessar o canal, o nervo ulnar se ramifica para fornecer sensibilidade ao dedo mínimo e a metade do dedo anular e inervação motora para os pequenos músculos da mão.

     O aumento da pressão dentro do canal provoca uma diminuição de velocidade de condução do estímulo nervoso, gerando dor, parestesia e fraqueza muscular.

ETIOLOGIA

     Existem diversas causas de compressão no canal de Guyon, tais como:
- Traumas,
- Tumores,
- Tromboses da artéria ulnar,
- Cistos.
- Uso excessivo do punho, especialmente em tarefas que curvam o punho para baixo (flexão) e para fora ou que ocasionem pressão constante sobre a palma da mão,
- Artrite envolvendo ossos e articulações do punho.

QUADRO CLÍNICO 

- Alteração de sensibilidade no 4º e 5º dedo com ou sem presença marcante de dor e hipoestesia;
- Alterações de força e dificuldades de mobilidade da mão (intrínsecos);
- Força de preensão e pinça diminuídas;
- Fraqueza e hipotrofia muscular, sensação de frio e intolerância ao calor distribuídos na margem ulnar da mão.

EXAME CLÍNICO

 - Hipo ou anestesia e atrofia muscular;
- Testes de Tinel e de Phalen podem ser positivos

DIAGNÓSTICO

     O nervo ulnar pode ser comprimido no punho (síndrome do canal de Guyon), no cotovelo (síndrome do túnel cubital) e no pescoço (síndrome do desfiladeiro torácico). Uma história e um exame físico cuidadosos em geral são suficientes para firmar o diagnóstico e precisar o ponto de compressão.

     Estudos eletrofisiológicos (velocidade de condução nervosa e eletromiografia) auxiliam no diagnóstico diferencial pela capacidade de localizar o ponto de compressão.

TRATAMENTO 

·        Conservador / Fisioterapêutico

O tratamento conservador é aplicado inicialmente com o MNF, corticóide de depósito e vitamina B6.
O repouso é fundamental e em algumas ocasiões é indicada imobilização com tala de velcro.
Em geral, as lesões causadas por traumatismo ou por doença ocupacional melhoram quando mantido o repouso e afastadas as causas desencadeadoras. Caso haja uma patologia orgânica associada, esta deve ser tratada.
Nesta fase as medicações anti-inflamatórias não-hormonais também podem produzir algum alívio.

·        Cirúrgico 

A descompressão cirúrgica do canal de Guyon é procedimento indicado quando houver persistência dos sintomas, após 3 meses de tratamento conservador.
A cirurgia é ambulatorial, sob bloqueio anestésico axilar ou mesmo do cotovelo; realiza-se a abertura do canal e microneurose, quando indicada. 

A morbidade é mínima, o retorno ao trabalho é rápido, e a resolução do problema é definitivo.


As informações aqui citadas foram retiradas dos sites:

http://www.profala.com/artfisio16.htm

Nenhum comentário:

Postar um comentário